DANO AMBIENTAL E O USO DOS ESPAÇOS TERRITORIAIS

Carmynie Barros e Xavier, Aldomar Arnaldo Rückert

Resumo


A preocupação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul passou a operacionalizar os ditames do Decreto Estadual nº 53.202 de 2016 que passou a orientar as formas de estabelecer as sanções administrativas àquele empreendedor não comprometido com a ordem e equilíbrio do meio ambiente físico-natural, social e econômico. Por isso, o presente artigo será norteado pelos fundamentos de danos causados nos espaços, dando significância ao fator território quando posto em evidência as maneiras como ele é compreendido e tratado. Havendo conexão com preceitos jurídicos e econômicos somados às bases geográficas para a contextualização do uso dado pelos atores da sociedade. Entre as principais considerações, identifica-se a intencionalidade dada pelo órgão fiscalizador de meio ambiente em acompanhar as compensações sancionadas administrativamente de maneira refletir no modo de alocação eficiente ao bem-estar da sociedade. 

Texto completo:

PDF

Referências


ARCE, Alberto. Re-Approaching Social Development: a field of action between social life and policy process. Journal Of International Development, Wageningen, n. 15, p.845-861, dez. 2003. Disponível em: < www.interscience.wiley.com >. Acesso em: 30 nov. 2017.

BARROS, Wellington Pacheco. Curso de Direito Ambiental. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

BAUDELLE, Guy et alii. Le développement territorial en Europe. Concepts, enjeux et débats. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2011. Capítulo 1. Le développement territorial: finalités et spécificités. p. 13-27.

BECKER, Bertha K. O uso político do território: questões a partir de uma visão do terceiro mundo. In: BECKER, Bertha K., COSTA, Rogério H.. SILVEIRA, Carmem B. (orgs.) Abordagens políticas da espacialidade. Rio de Janeiro: UFRJ, 1986. p. 1-8.

BOAS, Lucas Guedes Vilas. Resenha de Livro: Por uma Geografia do Poder", de Claude Raffestin. GeoPUC: Revista da Pós-Graduação em Geografia da PUC-Rio, Rio de Janeiro, v. 8, n. 14, p.116-122, jan-jun. 2015. Disponível em: < http://geopuc.geo.puc-rio.br/media/v8n14a2.pdf >. Acesso em: 26 jan. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 05 de outubro de 1988.

BRASIL. Decreto Federal nº 6.514, de 22 de julho de 2008. Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente, estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/decreto/d6514.htm >. Acesso em: 27 jan. 2018.

COSTA, Wanderley M. da. O Estado e as políticas territoriais no Brasil. São Paulo: Edusp / Contexto, 1988. 83 p. Introdução e Capítulo 1.

FALKENBERG, Luísa. Dano Ambiental: Responsabilização e Formas de Reparação - Uma Sistematização Prática. 2008. 80 f. Monografia (Especialização) - Curso de Direito Ambiental Nacional e Internacional, Faculdade de Direito, UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

FIGUEIREDO, Guilherme José Purivin de. A Propriedade no Direito Ambiental. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008. 350 p.

FIORILLO, Celso Antonio Pacheco. Curso de Direito Ambiental Brasileiro. 15. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

FONSECA, Joçao José Saraiva da. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GUERRA, Lemuel Dourado; RAMALHO, Deolinda de Sousa; SILVA, Jairo Bezerra; VASCONCELOS, Cláudio Ruy Portela de. Ecologia política da construção da crise ambiental global e do modelo do desenvolvimento sustentável. Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, v. 8, n. 1, p.09-25, mar. 2007.

MILARÉ, Édis. Direito do Ambiente - a Gestão Ambiental em foco: Doutrina. Jurisprudência. Glossário. 6. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993.Terceira parte: O Território e o Poder, Cap. I O que é o território?; Cap. II. As quadrículas do poder; Cap. III – Nodosidade, centralidade e marginalidade; Cap. IV – As redes e o poder.

RIO GRANDE DO SUL. Portaria FEPAM nº 065, de 18 de dezembro de 2008. Disciplina a especificação das sanções aplicáveis às condutas e atividades lesivas ao meio ambiente e seu procedimento administrativo no âmbito da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler – FEPAM. Disponível em: < http://www.fepam.rs.gov.br/legislacao/arq/Portaria065_2008.pdf >. Acesso em: 10 mar. 2018.

RIO GRANDE DO SUL. Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul. Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul (Org.). Indicadores Ambientais de 2009. 2012. Disponível em: < https://www.fee.rs.gov.br/indicadores/indicadores-ambientais/apresentacao/ >. Acesso em: 14 mar. 2018.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto Estadual nº 53.202, de 26 de setembro de 2016. Regulamenta os arts. 99 a 119 da Lei n° 11.520, de 3 de agosto de 2000, e os arts. 35 a 37 da Lei n° 10.350, de 30 de dezembro de 1994, e dispõe sobre as infrações e as sanções administrativas aplicáveis às condutas e às atividades lesivas ao meio ambiente estabelecendo o seu procedimento administrativo no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS, Disponível em: < http://www.al.rs.gov.br/filerepository/repLegis/arquivos/DEC%2053.202.pdf >. Acesso em: 05 fev. 2018.

ROSIÈRE, Stéphane. Géographie politique & Géopolitique. Une grammaire de l’espace politique. 2ª édition. Paris: Ellipses. 2007. Capítulo 2 da Segunda Parte. Les acteurs géopolitiques. p. 283-346.

SENDIM, José de Souza Cunhal. Responsabilidade civil por danos ecológicos: da reparação do dano através da restauração natural. Coimbra: Coimbra, 1998.

SILVA, Danny Monteiro da. Dano Ambiental e sua Reparação. 1. ed (2006), 3 reimp. Curitiba: Juruá, 2008. 400 p.

SOUZA, Jorge Henrique de Oliveira. Tributação e Meio Ambiente. Belo Horizonte: Del Rey Ltda, 2009. 408 p.

STEIGLEDER, Annelise Monteiro. Responsabilidade Civil Ambiental. In: Curso de Especialização em Direito Ambiental Nacional e Internacional, Aula 01, 2007, UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007. p. 01 - 85.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Carmynie Barros e Xavier, Aldomar Arnaldo Rückert

| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão - RS | ISSN 2446-7251 |